Nota sobre os incêndios na Amazônia

“Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (Jo 10,10)

A Pontifícia Universidade Católica do Paraná expressa sua preocupação com os incêndios registrados em diferentes partes do território amazônico, intensificados nas últimas semanas. Dada a significativa importância da Amazônia, como fonte de vida para o Brasil e para o mundo, consideramos que ações como estas poderão causar impactos imensuráveis para a humanidade.

Reconhecemos que não é de hoje que a Amazônia sofre com impactos ambientais causados, sobretudo, pelo uso e exploração desmedida de seus recursos naturais. Reflexos destes impactos podem ser observados com o aumento do desmatamento, queimadas, extração ilegal de madeira, projetos de mineração, atividades de garimpo ilegal, avanço do agronegócio, entre outras ações que desencadeiam conflitos e reafirmam o interesse puramente econômico pelos recursos da região.

A sociobiodiversidade amazônica é reconhecida mundialmente, no campo científico, econômico e político, por sua preciosa contribuição para a vida no planeta. A variedade de espécies animais e vegetais, a significativa concentração de água doce e a riqueza cultural de seus povos, fazem da Amazônia um ambiente singular e merecedor de um olhar cuidadoso e comprometido por parte desta Universidade.

Conscientes do privilégio e da responsabilidade de “cultivar e guardar a criação” (Gn 2,15), dádiva de Deus aos seres humanos, temos pautado as questões socioambientais no meio universitário com pesquisas, projetos, eventos e outras atividades acadêmicas. Acreditamos que escutar o clamor dos povos, que sofrem com os incêndios e com as frequentes queimadas oriundas do processo de desmatamento, é também escutar o clamor da terra. Portanto, defender a Amazônia é um modo urgente e atual de garantir a existência da vida.

Diante da complexidade da situação, entendemos que o momento exige amplo diálogo, escuta e compreensão para que sejam assumidas posturas transformadoras para o cuidado com a Amazônia e com o planeta. É urgente que o poder público brasileiro, dos demais países amazônicos e de países do mundo inteiro, tomem medidas emergenciais e eficazes para conter os avanços dos graves incêndios e das frequentes queimadas na Amazônia.

Reafirmamos nosso compromisso com a defesa da vida e a luta pela garantia de direitos. Rogamos para que as melhores decisões sejam tomadas e que elas se configurem em verdadeiros instrumentos para promoção humana, conversão ecológica e transformação social.

Curitiba, 30 de agosto de 2019.