Mínimo do mínimo para anunciar uma boa-nova à juventude

“O mínimo do mínimo” sobre qualquer coisa exige ir ao fundo do tacho. Essa é uma das frases que Hilário Dick utiliza para explicar seu exercício de cozinhar este doce de livreto… Fiquei pensando nas aventuras de um cozinheiro fazendo seu melhor doce, aquele do qual só ele sabe o segredo: o ponto certo para servir àqueles convidados para experimentar e saborear o oculto que vem do fundo, do íntimo, da essência…

Penso que esse é um dos doces, pois temos outros amigos e amigas cozinheiros, assim como o Hilário, que também fizeram e farão seus doces para celebrar a vida da Pastoral da Juventude. A Pastoral vive seus 40 anos no Brasil, país da diversidade, dos sabores e das culturas diferentes. Nesse doce, constam ingredientes especiais: memória, caminho, opções, pedagogia, estrutura, pessoas e vida, e as muitas doações que não se enxerga…

Interessante como resgatar a memória é ingrediente essencial para pensar o horizonte, para estabelecer os caminhos e as metodologias. Vamos aprendendo que, do caminho feito, temos muito a saborear: anos de descobertas das geografias do continente lati no-americano, desse nosso país e dessas nossas culturas que especificavam e especificam o trabalho da evangelização juvenil. São sabores diversos que fazem o mesmo doce.

Trecho de prefácio escrito por Raquel Silva, assessora da Pastoral da Juventude.

Publicação: Instituto Ciência e Fé da PUCPR
Editora: Universitária Champagnat

Download

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*